A hiperpigmentação é uma condição comum de pele, resultante do excesso de produção de melanina. Ela causa marcas de tonalidade diferente da pele, e pode afetar o corpo todo, principalmente o rosto. 

Apesar de nem sempre ser um perigo para a saúde, NIVEA compreende o incômodo que essas marcas escuras podem causar. Por isso, trouxemos um guia completo sobre a hiperpigmentação, com dicas para tratamento e prevenção.

Confira dicas incríveis para manter sua pele sempre saudável e elevar sua autoestima e bem-estar!

    O QUE É HIPERPIGMENTAÇÃO?

    A hiperpigmentação da pele é um resultado do excesso de produção de melanina, que pode criar marcas de diferentes tonalidades na pele do corpo e do rosto

    A melanina é o pigmento que nosso corpo produz para dar cor à nossa pele, cabelo e olhos. Assim, quando os melanócitos, células que produzem a melanina, são estimuladas a produzir esse pigmento em excesso, algumas partes do nosso corpo acabam ganhando uma coloração diferente, mais escura. 

    Vários fatores podem causar essa produção desregulada de melanina, incluindo a exposição solar excessiva ou inadequada, mudanças hormonais, inflamações e irritações de pele e o uso de alguns medicamentos. 

    Embora a hiperpigmentação geralmente não seja prejudicial à saúde, pode ser bastante desconfortável, especialmente quando afeta o rosto.

    TIPOS DE HIPERPIGMENTAÇÃO

    Para tratar adequadamente a hiperpigmentação, é essencial identificar seu tipo específico. Portanto, é fundamental consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento.

    Confira alguns tipos comuns de hiperpigmentação, suas características e causas:

    MELASMA

    O melasma é uma forma de hiperpigmentação que afeta principalmente o rosto, sendo mais comum em mulheres. Essa predominância ocorre porque ele costuma ser uma consequência do uso de anticoncepcionais ou da gravidez

    Ele é causado pelo acúmulo de melanina em locais como bochechas e testa, e costuma ser um pouco mais extenso quando comparado com outros tipos de hiperpigmentação.

    Por ser uma consequência da disfunção dos melanócitos, o melasma costuma ser mais comum em pessoas de pele escura, que possuem mais melanócitos. 

    Apesar disso, fatores genéticos e exposição solar também podem contribuir para seu surgimento. 

    Assim como as outras formas de hiperpigmentação, o melasma não é contagioso e costuma ser assintomático. A busca por tratamentos estéticos geralmente está relacionada à autoestima.

    Vale lembrar que o melasma não tem relação comprovada com o câncer de pele, portanto, não se preocupe, mas lembre-se de consultar um médico se tiver qualquer suspeita.

    MANCHAS SENIS

    As manchas senis, também chamadas de lentigo solar, são pequenas marcas escuras que aparecem na pele, especialmente em peles maduras.

    Assim como as sardas, elas são causadas pela exposição prolongada ao sol. Os raios UV levam muito tempo para causar dano, e é justamente por isso que essas manchinhas tendem a aparecer em pessoas de idade avançada. 

    Para adiar e até prevenir o aparecimento de manchas senis, é fundamental usar um protetor solar adequado, de amplo espectro, no corpo inteiro mesmo que não haja exposição direta à luz solar!

    HIPERPIGMENTAÇÃO PÓS-INFLAMATÓRIA

    A hiperpigmentação pós inflamatória ocorre quando a pele escurece após uma inflamação ou lesão cutânea. Quando nos machucamos ou arranhamos, nosso corpo libera um mediador inflamatório que "avisa” as células para produzir mais melanina, dando um tom mais escuro à área afetada. 

    Ela também pode ser causada por cicatrizes de acne ou outras condições dermatológicas, como eczema. 

    Apesar de desaparecerem com o tempo, a hiperpigmentação pós inflamatória pode ser mais persistente em peles escuras, por isso o protetor solar e a exposição responsável ao sol são super importantes.

    TRATAMENTOS PARA HIPERPIGMENTAÇÃO

    Existem diversos tratamentos para hiperpigmentação. A maioria deles envolvem ácidos e outros ingredientes que tenham o poder de renovar as células do rosto, fazendo com que as marcas escuras “desbotem”. 

    Essas soluções costumam ser buscadas pela sua praticidade, pois o tratamento pode ser feito em casa e sem acompanhamento. Nesse sentido, existem também tratamentos estéticos que demandam a presença de um profissional da área para serem realizados, como peelings de fenol. 

    Em ambos os casos, é essencial consultar um médico dermatologista que possa identificar o tipo de hiperpigmentação, bem como receitar ingredientes e tratamentos adequados para o seu caso específico!

    ÁCIDO RETINOICO E HIDROQUINONA

    A hidroquinona é um ingrediente químico muito famoso para tratar marcas escuras na pele. Ela limita a produção de melanina, fazendo com que as marquinhas desbotem gradualmente

    Ela, comprovadamente, reduz a aparência de manchas de sol e outras marcas e pode ser uma grande aliada no seu skin care. Combinada com os ingredientes certos, é possível usá-la para recuperar a vitalidade e a homogeneidade da pele.

    Apesar de seus benefícios, o ingrediente deve ser usado com muito cuidado, evitando a exposição solar e caprichando no protetor solar. 

    Além do mais, usar hidratantes e séruns cuja concentração de hidroquinona seja muito alta pode, segundo relatos, causar danos permanentes à pele. 

    O ácido retinóico, por sua vez, é um derivado da vitamina A que estimula a regeneração celular e ajuda a clarear marcas escuras. 

    Além disso, eles melhoram a textura da pele, tornando-a mais suave e uniforme. Uma de suas formas mais conhecidas é o retinol, um ácido comum em rotinas de skin care.

    Vale lembrar que o ácido retinoico pode ressecar a pele, portanto é essencial combiná-lo com um bom hidratante facial,  especialmente para a pele seca.

     Você também pode adicionar antioxidantes como a vitamina C, e abusar do protetor solar, já que o retinol deixa a pele mais sensível.

    Em conclusão, ácidos e outros elementos podem ser uma boa solução para a hiperpigmentação. Além de serem pouco invasivos, eles são fáceis de usar em casa e possuem resultados comprovados.

    Porém, é importante sempre consultar um profissional da área antes de investir em tratamentos dermatológicos mais abrasivos, como é o caso desses ingredientes. Além disso, lembre-se que o mais importante é a saúde da sua pele, sempre!

    PEELING E TRATAMENTOS ESTÉTICOS

    O peeling químico é o tratamento estético mais buscado para combater marcas de hiperpigmentação. 

    Ele consiste na aplicação de produtos que aceleram a renovação celular, e contribui para a atenuação de rugas, marcas escuras, e até mesmo na redução de lesões pré-malignas como as queratoses actínicas.

    Apesar disso, existem muitas outras opções, como as terapias a laser e a luz intensa pulsada (LIP), que podem tratar melasmas, manchas senis e até mesmo sardas

    Além disso, esses procedimentos estimulam a produção de colágeno, o que pode contribuir para uma pele mais firme e rejuvenescida.

    Vale ressaltar que, para esses tratamentos, é essencial o acompanhamento de um profissional capacitado.

    LUMINOUS 630

    O ingrediente Luminous 630 recria a enzima que produz a melanina no nosso corpo. Assim, além de hidratar e proteger a pele contra os raios UV, ele ajuda a uniformizar o tom da pele, reduzindo e prevenindo marcas escurecidas no rosto. Atuando em nível celular, o Luminous 630 está presente em vários produtos, possibilitando uma rotina de skin care completa para quem tem marcas na pele.

    COMO PREVENIR A HIPERPIGMENTAÇÃO?

    A melhor forma de evitar a hiperpigmentação é protegendo bem as áreas expostas ao sol. Assim, é muito importante atuar de forma preventiva, usando protetor solar com FPS adequado todos os dias, ainda que não haja exposição solar. 

    Além disso, se possível, tente evitar se expor diretamente ao sol entre as dez horas da manhã e três da tarde. Nesse horário, os raios ultravioleta do sol estão muito fortes, e podem causar diversos danos à pele. Além de marcas escuras, os raios UV podem causar queimaduras, rugas e envelhecimento precoce.

    Assim, o protetor solar é essencial para cuidar da sua pele com carinho e curtir o sol com segurança. 

    Vale lembrar que nosso rosto é uma área de pele sensível, e portanto não é só o sol forte que faz mal. A luz visível, de aparelhos eletrônicos, por exemplo, também pode ocasionar manchas na pele do rosto.

    Para evitar isso, você pode procurar protetores solares com proteção de amplo espectro, e fazer uso de vitamina C para o rosto, por exemplo. 

    Por último, caso identifique marcas escuras diferentes ou preocupantes, é muito importante consultar um médico o mais rápido possível para evitar possíveis complicações, ok?

    Agora que você já sabe tudo sobre a hiperpigmentação, ficou fácil cuidar do rosto e do corpo com nosso toque que transforma

    Para saber mais sobre cuidados com a pele, confira nossos artigos sobre saúde e beleza no blog NIVEA e tire suas dúvidas sobre skin care e qualidade de vida. Confira também nossas novidades!

    INSCREVA-SE NA NOSSA NEWSLETTER

    E fique sabendo em primeira mão de todas as novidades e descontos do mundo NIVEA!

    CONHEÇA AS CATEGORIAS DE PRODUTOS NIVEA