NIVEA não conduz testes em animais

Há mais de 35 anos estamos entre os líderes globais no desenvolvimento  e aplicação de métodos alternativos de testes.

 

A NIVEA/Beiersdorf não realiza e nem encomenda testes em animais. Essa é uma política global da companhia, que tem como essência o CUIDADO. Em alguns casos raros, autoridades governamentais exigem e conduzem independentemente esses testes de acordo com as leis locais. Estamos entre os líderes globais no desenvolvimento e aplicação de métodos alternativos de testes há mais de 35 anos. Em 1992, por exemplo, nossos pesquisadores de pele desenvolveram um dos primeiros testes oficiais do mundo aceito sem testes em animais. Com o avanço da tecnologia e pesquisas, tais práticas não são necessárias para comprovar a segurança e eficácia dos produtos e a companhia atua com o compromisso de torná-las obsoletas em todo o mundo.
 
Na União Europeia, onde fica a sede da NIVEA (Hamburgo, Alemanha), desde 2004 os testes em animais são proibidos para produtos cosméticos - e para todos os ingredientes desses produtos, desde 2013. Os laboratórios globais da NIVEA/Beiersdorf estão em conformidade com essa conduta e os produtos são desenvolvidos sem testes em animais. No entanto, ainda há mercados que exigem por lei certificados que contenham esses testes. Neste caso, as pesquisas são conduzidas por institutos locais autorizados pelo governo, sem o envolvimento das empresas fabricantes. A NIVEA não utiliza essas informações e não precisa delas para os relatórios de segurança e eficácia.
 
A indústria cosmética em todo o mundo caminha, com massivos investimentos e pesquisas, para apoiar o desenvolvimento de métodos alternativos e há décadas é considerada uma precursora nesta área. A NIVEA atua em colaboração com mais de 50 parceiros e partes interessadas nesse esforço global para que os testes em animais sejam completamente abandonados. Estamos em constante contato com autoridades governamentais, tanto como companhia quanto membro de associações da indústria, com o objetivo de parar com os testes em animais. Esse compromisso já está mostrando os primeiros resultados: na China, por exemplo, autoridades têm oferecido um procedimento simplificado de registro sem a necessidade de testes em animais para produtos como xampus e géis de banho que são fabricados localmente. Nós reconhecemos este avanço e continuaremos a defender que testes em animais para todas as categorias de produtos não são necessários. Além disso, apoiamos programas de treinamentos que visam ampliar o conhecimento sobre métodos de testes in vitro.

NOSSOS COMPROMISSOS:

Pesquisa intensa para encontrar métodos de testes alternativos há 35 anos.

A Beiersdorf é uma das pioneiras e uma das líderes globais no campo de métodos de testes alternativos. Há 35 anos, a nossa divisão de pesquisa e desenvolvimento promove ativamente o assunto, por meio de desenvolvimento próprio de métodos adequados e de participação ativa em estudos de validação e projetos de pesquisa.

Desenvolvimento de um dos primeiros testes oficialmente aprovado sem testes em animais.

Em 1992, os nossos pesquisadores da Beiersdorf desenvolveram o método básico do chamado Ensaio de Fototoxicidade da Captação do Vermelho Neutro 3T3, estabelecendo um importante marco: Após um estudo formal de anéis para validação, este foi o primeiro método alternativo a testes em animais aceito de forma oficial (em 2000 na UE e 2004 na OECD). Atualmente, o método para testar a tolerabilidade de ingredientes novos sob a influência de luzes UV é o padrão mundial e também o primeiro teste in vitro a ser aceito na China, por exemplo.
 

Colaboração internacional com parceiros renomados.

Estamos promovendo ativamente o desenvolvimento de métodos alternativos inovadores e a aceitação internacional daqueles existentes por meio de colaboração conjunta com mais de 50 investidores e parceiros até o momento. Atuamos de forma intensa em vários grupos de trabalho que se enquadram na organização guarda-chuva europeia da indústria de cosméticos (Cosmetics Europe), cooperamos com o Centro Europeu para Validação de Métodos Alternativos (EURL ECVAM) e colaboramos com a OECD através de fornecimento de conhecimentos científicos. Somos um membro ativo da Sociedade Europeia de Toxicologia In Vitro (ESTIV) e, desde 2006, um dos membros fundadores da Parceria Europeia para Abordagens Alternativas ao Ensaio Animal (EPAA), uma organização cooperativa do Comitê Europeu e sete setores da indústria. Além disso, a Beiersdorf coopera com pesquisa inovadora e de ponta, como estudos sobre tecnologias organ on a chip, que estimulam a interação de diversos órgãos.

Continuar o avanço e suporte à pesquisa no futuro.

Mesmo já tendo feito grande progresso, não há atualmente métodos de testes alternativos estabelecidos e oficialmente aceitos para questões relacionadas à segurança. Acima de tudo, isso tem impacto no desenvolvimento de inovações e na aprovação de novos ingredientes para produtos cosméticos. Portanto, seguiremos defendendo de forma intensa o desenvolvimento e o uso bem-sucedido de alternativas a testes em animais.